quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Artilheiros ficam pelo caminho e não conseguem acesso na Série C

Eloir é um dos artilheiros na fase final / Biaman Prado
Ter um jogador com faro de gol é o desejo da maioria das equipes. Isso pode significar a possibilidade de conquistar mais vitórias e feitos maiores. Parte disso verdade. Mas nem sempre ter um goleador na equipe é sinônimo de sucesso. A Série C mostra isso, com o Sampaio sendo a única exceção no grupo dos times que conquistaram o acesso para a Série B.

Os principais artilheiros da competição sequer avançaram para a segunda fase, onde o acesso foi definido. Eliminados na primeira fase, viram jogadores, que até então não ameaçavam alcançar a artilharia do torneio, ajudarem seus times e entrarem na briga pelo prêmio individual.

Assissinho (Fortaleza) marcou 12 gols e ainda é o principal artilheiro da competição. Apesar disso, o Tricolor cearense foi eliminado na primeira fase. Tiago Cavalcanti poderia ter conquistado o acesso e até liderar a lista de goleadores na Série C, afinal marcou 10 gols pelo Sampaio. Mas antes que o time maranhense conseguisse a classificação o atacante partiu para o Bragantino.

Também com 10 gols, Fernando (Cuiabá) foi fundamental apenas para ajudar o Dourada à permanecer na Série C. Ainda entre os cinco principais artilheiros do torneio aparecem Danilo Galvão (Águia) e Denílson (CRB), ambos com nove gols, mas também viram seus times eliminados na primeira fase.

Quem poderia seguir no sonho de ser artilheiro da Série C era o atacante Tozin, autor de oito gols pelo Luverdense no torneio. Entretrano, Tozin foi dispensado do Luverdense faltando dois jogos para o fim da fase classificatória.

Com os principais goleadores ficando pelo caminho, quem estava distante da briga voltou a aparecer e foi fundamental para sua equipe conquistar o acesso. No Vila Nova, Frontini, que estava sem marcar há nove jogos, viu o Tigre perder por 1 a 0 para o Treze no jogo de ida, mas na volta, com dois gols do atacante, os goianos conquistaram o acesso. De quebra, Frontini chegou aos sete gols e, com no máximo, mais quatro jogos pela frente (caso o Vila Nova seja finalista), ainda pode sonhar com a artilharia.


Quem também aparece na briga é o meia Eloir, que teria a função de criar, mas agora é o artilheiro do Sampaio. Com a saída da dupla Cavalcanti e Pimentinha, Eloir voltou a ser decisivo nos últimos jogos (com três gols em quatro jogos) e é o artilheiro do time com seis gols. Por conta de sua posição e da diferença de gols para os líderes é difícil acreditar que o representante da equipe maranhense possa ainda brigar pela artilharia.

Entre os dois times que ainda estão disputando as quartas de final, no caso do Betim e Santa Cruz, as duas equipes aparecem com jogadores com potencial de alcançarem a artilharia na reta final. Betim, defendendo o time mineiro, conta com seis gols, enquanto André Dias, principal artilheiro coral, já tem cinco gols, ambos com a possibilidade de jogar mais cinco jogos, caso suas equipes sejam finalistas. Mas vale lembrar que no caso desta dupla, um deles ficará pelo caminho.

Um comentário:

  1. Assissinho (Fortaleza), amigo esse jogador ganha 60.000,00, é mole!

    ResponderExcluir

Podem comentar e criticar a vontade, só peço que respeitem as duas exigências abaixo

-Evitem usar palavrões nos comentários
-Evitem críticas à outros membros da imprensa, exceto ao titular deste blog

Feito isso, certeza que os comentários serão liberados sem nenhuma restrição